Diário do Lollo: um labrador, ó céus….

Oie!

Insônia batendo forte hoje! 🙂

Sempre vejo coisas na internet como:

– Ter um labrador é ter uma vida cheia de emoções! (e a foto de um labrador correndo ensandecido no parque, sem coordenar as patas da frente com as de trás)

– Ter labrador é para os fortes! (e foto de destruições em massa da casa, jardim, automóveis)

– O cão mais intenso do mundo? Labrador… (e a foto de um labrador com 3 bolinhas de tênis na boca)

– Labrador ou lontra? (e um vídeo de 30 segundos do cachorro pulando na piscina 5 vezes…)

Enfim, todas são verdade. Incontestáveis. Já treinei muitos cães dessa raça, uns bem típicos e outros física e psicologicamente bastante distantes do que considero um labrador geneticamente bom.

Mas quando se convive com um diariamente, a coisa fica muito mais intensa, e divertida. Com sete (quase oito) meses ele já está bem espertinho sobre as regras da casa (e como burlá-las). Hoje mesmo ele aprendeu a abrir a porta da caixa de transporte com a pata, porque lá dentro estava a Radha comendo sua ração tranquilamente.

Ele acha que estar com as duas patas de trás no chão (e o resto do corpo em cima da cama) conta como: olha, estou no chão!

Ele acha que os cães adoram quando ele vem correndo do quarto e se lança no sofá com metade do corpo (de 26 Kg) sobre eles à toda velocidade e é divertidíssimo para todos, inclusive para os amassados.

Ele sabe, aliás, tem certeza, que quando ele pega qualquer coisa da boca da Radha ela vai deixar e não adianta quantas vezes se tire da boca dele e devolva para ela, ele se diverte em TIRAR dela e não em possuir o objeto.

b2ap3_thumbnail_IMG_8834.JPG

Ele tem certeza de qual carinha tem que fazer para que nós paremos de fazer o que quer que estejamos fazendo, para dar total atenção para ele, amassando, apertando e dando risada da carinha de prazer intenso que ele faz nesses momentos. Eu já amassei ele até os limites de força física de uma Felícia enrustida e não obtive um Calming Signal sequer!

Ele percebe quando vou abraçar ele montada como se ele fosse um cavalinho e levantá-lo pelas patas da frente, ele de costas prá mim. É, eu tenho essa mania com os cães aqui de casa. De uns tempos prá cá ele chega a levantar uma pata e dar um pulinho para dar impulso e quando está com duas patas de trás no chão e eu apoiando o peito dele, espreguiça intensamente!!!! Como assim? Uma posição geralmente desconfortante para um cão é um ótimo momento para esticar os músculos? (jogando todo o peso do seu corpo como se não houvesse amanhã).

É. Agora sei realmente o que é conviver com um labrador e foram apenas 6 meses até agora, de prazer intenso. Que Deus me abençoe. Amém. 🙂

By | 2017-01-18T11:43:04+00:00 dezembro 10th, 2013|Categories: Blog|Tags: |0 Comentários

Deixar Um Comentário