Enriquecimento Ambiental – Parte II

No artigo anterior explicamos o que é enriquecimento ambiental e a importância do uso dessa técnica para os animais mantidos em zoológicos. Você sabia que os nossos queridos peludos também podem usufruir desse benefício? Leia nosso artigo e saiba como! 🙂

cão destruindo sofá

Nossa, que bagunça!

Como citei no post anterior, os animais na natureza estão constantemente em busca de alimento, água, território, disputas pelo parceiro sexual, abrigo, evitando predadores. Mesmo sendo animais domésticos, os cães também têm suas necessidades particulares de gasto energético, tanto físico quanto mental. Algumas raças, inclusive, têm necessidades específicas de acordo com sua função original, como por exemplo pastoreio, guarda, caça, etc.

Lógico que não precisamos criar ovelhas no quintal de casa para garantir uma boa qualidade de vida para um border collie, mas o ideal é que esse cão esteja em um ambiente adequado para a função genética que exerce naturalmente. Nós podemos redirecionar o instinto de pastoreio, por exemplo, para outras atividades que suprem essa necessidade, como jogar frisbee, bolinha ou brincar de cabo de guerra. E isso também é válido para outras raças que possuem aptidões para o trabalho.

Radha brincando de frisbee

Radha, border collie da equipe Tudo de Cão, brincando de frisbee Foto: Fernanda Conrado

Problemas de Comportamento – falta de atividade física, mental e social

O não atendimento das necessidades básicas gera cães entediados, frustrados e ansiosos, o que causa o aparecimento de diferentes problemas comportamentais. Alguns deles são:

  • Granuloma de lambedura: o cão lambe compulsivamente determinadas partes do corpo, geralmente as patas. Alguns lambem compulsivamente o próprio nariz;
  • Obsessão: o cão passa muito tempo procurando moscas, insetos, pássaros e até sombras, perseguindo-os compulsivamente;
  • Destruição do ambiente: o animal destrói plantas, cava buracos no quintal, rói paredes, mastiga portas e pés de mesas e cadeiras, destrói sofás e colchões, etc;
  • Latidos excessivos: o cachorro late sem parar, sem motivo aparente, geralmente de forma cadenciada e constante;
  • Automutilação: o cão se morde até se machucar, geralmente nas almofadinhas das patas e às vezes no rabo. Este é um dos problemas mais graves e pode ser antecedido pelo granuloma de lambedura;
  • Apatia: o animal passa praticamente o dia inteiro dormindo, não brinca, não interage com as pessoas, demonstra pouco interesse pelo ambiente ao seu redor;
  • Proteção de objetos: o cão pode se tornar obcecado por um objeto ou local e não permite que outros cães ou pessoas se aproximem do que ele está guardando;
  • Movimentos repetitivos: ele faz sempre a mesma trajetória, formando padrões de movimentação, como por exemplo, ficar correndo ao redor de um muro ou portão por horas, sem parar.

O acúmulo de energia e a falta de estímulos adequados no dia a dia dos cães são os principais vilões do aparecimento desses e de outros problemas comportamentais. A necessidade de gasto energético pode ser comparada à bexigas de aniversário. A cada dia essa bexiga se enche um pouco, independentemente da vontade do cão. Se não o ajudarmos a esvaziar essa bexiga da maneira adequada, em algum momento ela vai explodir em forma de um cão extremamente agitado, nervoso, tímido ou até agressivo.

Vamos fazer uma breve comparação:  pense em um adolescente no auge do seu vigor físico, com disposição para jogar futebol, basquete, videogame, estudar, surfar, sair no final de semana com os amigos, namorar, ir ao cinema. Quanta atividade! Agora, imagine deixar esse mesmo adolescente em um quarto, sem absolutamente nada para fazer, no máximo com uma televisão para ele assistir. Não vai demorar muito para esse adolescente “estourar”. Nós mesmos costumamos ficar naturalmente mais impacientes ou irritados quando chove por dias seguidos e não podemos ir à rua ou fazer nossas atividades habituais. O mesmo acontece com os cães. Cada um tem sua necessidade individual de gasto energético de acordo com a sua idade, porte, condição física e outras características. Podemos ajudar os cães direcionando seu gasto energético em atividades adequadas e saudáveis para eles, através do enriquecimento ambiental. Vamos ver como?

Mastigar é preciso 

A boca dos cães é tão importante para eles quanto nossas mãos são para nós. Boa parte do comportamento deles, inclusive a ansiedade ou medo, é direcionado para a boca: latir, morder, lamber (eles mesmos, pessoas ou o ambiente), rosnar, proteger ou destruir objetos, roer, etc.

Por isso, a Tudo de Cão acha fundamental que os cães tenham momentos e objetos disponíveis para extravasar essa necessidade de uso da boca, principalmente quando filhotes, mas também ao longo da vida toda. Aqui vão algumas sugestões que sempre indicamos para nossos clientes das aulas de adestramento em domicílio:

Vergalho

orelha de boiVergalho e orelha de boi desidratada: são produtos naturais e bastante apreciados pelos cães. É importante prestar atenção se eles não causam diarréia. Se isso acontecer, não ofereça novamente e procure outras alternativas.

 

Ossos naturais: existe um tipo de alimentação para pets cada vez mais conhecida no Brasil, que é a alimentação natural. Existem pessoas sérias que pesquisam e que nos trazem informações confiáveis e importantes sobre o assunto, como as encontradas no site Cachorro Verde. Vale a pena dar uma lida a respeito dos ossos recreacionais.

590169_ampliacao

Ossos de nylon: os ossos de nylon são ótimas opções para aqueles cães que destroem tudo o que encontram pela frente. Eles costumam gostar da consistência do produto, que é bastante seguro, pois não se destrói em pedaços grandes – soltam pedacinhos muito pequenos conforme o cão vai mastigando – evitando que ele se machuque se por acaso engolir algum desses pedaços.

 

 

Brinquedo-Pet-Escova-Verde-Pet-Games

Uma excelente opção de ossos de nylon nacionais são a Pet Escova e a Pet Pasta, ambos da empresa PetGames.

 

 

 

 

brinquedo me morde

As (multifuncionais) garrafas pet: Vi poucos cães até hoje que não gostassem de se divertir com uma dessas. Percebendo isso, algumas empresas criaram brinquedos que você pode “rechear” com as garrafas pet. Ou seja, você coloca a garrafa dentro do brinquedo e o cachorro tem um brinquedo, geralmente de pelúcia, ou tecido, com a consistência e o barulhinho da garrafa pet, que eles tanto gostam de morder. Coloque a garrafa pet dentro do Me Morde, da Buddy Toys e ofereça um brinquedo inusitado para o seu cão. Existem outras opções no mercado em formato de bichos de pelúcia com essa mesma idéia.

 

Comer pode ser divertido – atividade mental com brinquedos cognitivos

Os animais de vida livre passam boa parte do seu tempo procurando por comida. Esse é um comportamento natural e saudável que faz parte do repertório de muitas espécies e fazendo isso eles gastam ao mesmo tempo energia mental e física. Esse é um bom comportamento a ser incentivado em nossos cães! Ao invés de apenas colocarmos a ração num pote, onde o cão vai comer rapidamente em no máximo um ou dois minutos, aproveitamos o momento das refeições para oferecer o alimento de maneira lúdica, divertida, mantendo seu cão entretido, prolongando o tempo da alimentação e proporcionando atividade física e mental para ele. Muito mais estimulante, não é?

Existem hoje muitos brinquedos cognitivos, desenvolvidos especialmente para os cães e que podem nos ajudar na tarefa de entreter nossos peludos, melhorando muito a qualidade de vida deles. Vamos ver quais são?

kongvermelhoKong: é um brinquedo de borracha com um furo no meio que recheamos com petiscos pastosos e o cão usa a língua para retirar. Esse brinquedo supre boa parte da necessidade dos cães de exercitar a mandíbula – tanto filhotes quanto adultos. É o tipo de brinquedo que pode ser deixado com o cão quando você sai de casa. Para dificultar, depois que o seu cãozinho já ficou craque em retirar o recheio, uma dica é congelar o kong com o recheio dentro. O peludo vai passar ainda mais tempo se divertindo! Existem diversas receitas de recheios para kong, tanto salgadas quando doces (usando frutas, nunca açúcar ou adoçante!). Existe também uma pasta pronta, criada pela própria marca kong.

Kong Tetra Kong tetra: é um brinquedo super diferente e o cão também usa a língua para retirar o recheio pastoso entre as ranhuras do brinquedo. O cão vai lambendo até conseguir retirar tudo, o que pode levar um bom tempo.

 

 

 

A Cristina Araujo, adestradora da Tudo de Cão, fez um vídeo bem legal de como rechear e usar o kong, olha só:

No site da Kong você também encontra diversos modelos recheáveis.

comedouro brinquedo pet ballPetball: é um dos brinquedos mais divertidos para os cães, também fabricado pela Pet Games, uma empresa nacional! A Petball é dividida em duas metades, que você abre para colocar a ração do seu peludo e depois fecha de novo. Você então tem quatro aberturas para regular, que controlam a saída da ração. Depois de colocar a Petball no chão, é só diversão! O cachorro tem que fazer a bola sair rolando para que a ração vá caindo gradualmente, conforme o nível escolhido das aberturas. A Petball garante que seu cão coma devagar – ótimo para aqueles esfomeados que devoram a ração toda em segundos.

 

Veja que legal os cães correndo sem parar atrás da PetBall:

clickerpets_2022_377134

Buster Cube: é ótimo para estimular mentalmente os cães. Retiramos a tampa e colocamos a porção de ração que o cão deve comer no período (caso ele se alimente duas ou mais vezes ao dia). O brinquedo é oco por dentro e no interior há uma espiral que faz com que os grãos de ração se espalhem. Esse mecanismo todo dificulta a retirada da ração, o que torna a brincadeira muito interessante para o cão.

 

 

kong_wobblerKong Wobler: este brinquedo funciona como um João bobo, aquele boneco que você bate ele cai e depois levanta sozinho novamente. A ração vai dentro do brinquedo e o cão deve encontrar uma maneira de retira-la de lá, golpeando, segurando o brinquedo deitado com as patas ou usando o focinho.

 

 

 

Brinquedo Kibble Nibble

Kibble Nibble: o Kibble Nibble segue a mesma idéia dos anteriores: você coloca a ração dentro do brinquedo e o cão se diverte tentando tira-la.

 

 

 

Quebra cabeças

O conceito desses quebra cabeças é interessante porque faz com que as pessoas descubram e se encantem com a inteligência dos seus cães, uma vez que eles realmente precisam pensar e resolver o desafio proposto pelo brinquedo para conseguir pegar o petisco. Aliando brinquedos e comida, a diversão é garantida!

PetgamesPet Games: os tabuleiros da Pet Games possuem diferentes níveis de dificuldade em modelos variados. Na maioria deles o cão precisa movimentar alguns pinos estrategicamente posicionados no tabuleiro para encontrar os petiscos escondidos.

 

 

 

dog_finder3

Dog Tornado/ Dog Finder: os dois brinquedos também propõem esse desafio cognitivo aos cães e já são encontrados à venda aqui no Brasil.

 

 

 

 

iqube_duplo

Kyjen: este brinquedo é um quebra cabeça, mas desta vez para cães que são loucos por brinquedos e bolinhas de pelúcia: eles têm que descobrir uma maneira de tirar o objeto de dentro.

 

 

 

Existem ainda muitos outros produtos com o objetivo de manter seu cão entretido na hora das refeições e a maioria deles já pode ser encontrada em boas lojas do ramo pet.

brinquedos bussybuddy

Brinquedos Busy Buddy, uma linha completa de comedouros interativos

 Segurança em primeiro lugar

Todo item novo que você oferecer ao seu cão deve ser dado sob supervisão, até você ter certeza de que ele não irá se machucar. Também é importante lembrar que alguns itens, especialmente os ossos, podem gerar disputa entre os cães. Portanto, atenção redobrada se você tem mais de um peludo. Segurança sempre em primeiro lugar!

 Onde comprar

Aqui estão alguns sites onde você pode encontrar os produtos que mencionamos neste artigo:

www.petgames.com.br

www.bitcao.com.br

www.doggystore.com.br

www.kongcompany.com

www.amazon.com (produtos importados)

Gostou do artigo? Deixe seu comentário! Escreva pra gente o que você faz para deixar seu cãozinho mais feliz. 🙂

Não perca a terceira e última parte dos artigos sobre Enriquecimento Ambiental para saber mais sobre como garantir a qualidade de vida e bem estar para seu melhor amigo de quatro patas! Acesse aqui: Enriquecimento Ambiental – Parte 3.

Artigo revisado por Carolina Estima, bióloga e adestradora da Tudo de Cão com vasta experiência em enriquecimento ambiental para animais selvagens, exóticos, cães e gatos.

By | 2017-01-18T11:43:18+00:00 setembro 12th, 2010|Categories: Artigos|Tags: |4 Comments

4 Comentários

  1. Ze Cris M Santana 18/01/2014 em 19:27- Responder

    Essas rações são um pouco duras principalmente para cães bebes,será q fará mal se eu colocar leite de vaca para amolecer um pouco a ração irá fazer mal para ele? Gostei do artigo enriquecimento ambiental vou tentar aplicar.

  2. Sara Favinha 19/01/2014 em 16:26- Responder

    Olá tudo bem? Você pode amolecer a ração com água morna, porém precisa utilizar na hora senão ela pode estragar.. 🙂

  3. Telma Borges 04/07/2014 em 14:55- Responder

    Gostei muito da matéria e já vou encomendar um Kong.

  4. Fernanda Conrado 09/07/2014 em 00:34- Responder

    Que bom que você gostou, Telma! A Gigi que vai ficar muito feliz 🙂

Deixar Um Comentário