Enriquecimento Ambiental – Parte III

Agora que você já tem um bom conhecimento sobre o que é enriquecimento ambiental e viu exemplos sobre itens de enriquecimento alimentar e cognitivo, nesse terceiro e último artigo vamos falar de outros tipos importantes de enriquecimento ambiental, para melhorar a qualidade de vida do seu amigo peludo.

Animais sociais

Os cães são animais sociais, ou seja, são naturalmente adaptados para viver com outros cães. O Leonardo Ogata, fundador da Tudo de Cão acredita que por serem geneticamente programados para estar em companhia, a maioria dos cães apresenta um certo grau de ansiedade de separação, precisando ser ensinados a ficar sozinhos. O ser humano também é extremamente social. Profissões que exigem isolamento social possuem regras rígidas sobre o tempo de trabalho e de descanso. E, no caso de prisões para detentos, qual é a pior pena que um ser humano pode enfrentar? A solitária!

grupo de cães sentados

Estar entre outros cães, brincar com eles, exercitar toda a habilidade de comunicação, imitar comportamentos, tudo isso é extremamente importante para os nossos amigos peludos. Se você não tem possibilidade de ter outro cão, considere a opção de um day care ou uma creche para cães, ao menos dois ou três dias por semana. E se você escolheu dois ou mais cães para serem seus companheiros e animais de estimação, por favor, dê a atenção e desenvolva o comprometimento que eles merecem. Não é porque eles estão juntos que podem passar a vida confinados em um canil ou isolado no quintal.

Nos momentos de interação do seu cãozinho no parque, por exemplo, é importante supervisionar as primeiras interações, mediá-las para que um cão não seja desagradável com o outro. Não acredite quando algumas pessoas dizem “eles se entendem sozinhos”, isso pode não dar certo. Quando perceber que um dos cães está tendo uma atitude inadequada, afaste-o gentilmente por alguns segundos, segurando pela coleira ou seu corpo. Assim que ele se acalmar, solte-o novamente e se ele continuar com a mesma atitude, repita o afastamento. Caso ele não pare de importunar o amiguinho, retire do ambiente por cinco minutos. Com algumas repetições ele vai entender que pode ir até certo ponto na brincadeira e, se exceder os limites, a brincadeira acaba. Qual será o comportamento que ele vai preferir: o que encerra a brincadeira ou o que permite que ela continue?

gentileza gera gente folgada

Cães são animais sociais, mas não precisa abusar, não é mesmo? 🙂

 Outros animais

Introduzir animais de outras espécies também é uma boa opção, desde que esses animais não sejam vistos como presas pelo seu cãozinho. Alguns cães possuem o instinto de caça bastante aflorado e, neste caso, o recomendável é proporcionar enriquecimento social apenas com animais da mesma espécie.

Caso seu cãozinho seja filhote, será mais fácil ter outros animais como companheiros, como gatos, ferrets, coelhos, tartarugas e outros. Não se esqueça de solta-los juntos apenas sob supervisão, até que tenham atitudes calmas e confiáveis um em relação ao outro. Com o tempo eles podem se tornar grandes amigos.

cão e ratinho

Foto: Ksuksa Raykova

Treinamento 

Logo que começamos a estudar enriquecimento ambiental, ainda não se tinha certeza de que as sessões de treino podiam ser consideradas como enriquecimento ambiental. Isso era apenas uma hipótese discutida entre as pessoas que trabalhavam na área, não havia nada nos livros da época sobre o assunto. Mesmo quando escrevemos a versão original desses artigos, mencionamos: “Sabemos que o treinamento não é considerado um enriquecimento ambiental…”.

Alguns anos se passaram e hoje já existem diversas referencias indicando as sessões de treinamento como parte do enriquecimento ambiental cognitivo. Os animais em geral fazem uso das suas habilidades cognitivas para compreender o que o treinador espera dele e então aprender novos comandos e é exatamente a esta conclusão que se chegou.

Um cão bem treinado tem os laços com seu proprietário estreitados, além de saber uma série de bons comportamentos que farão com que ambos possam aproveitar ainda mais a companhia um do outro. A grande diferença está na melhora da comunicação, que faz toda a diferença para que a relação seja a mais harmoniosa possível.

Sara e Radha no comando Junto

Sara e Radha no comando Junto

Uma prova de que o treinamento pode ser considerado enriquecimento cognitivo é que, depois de uma sessão de treino o cão costuma ficar cansado mentalmente e pode dormir por horas. É como quando estudamos para uma prova muito difícil e, depois de fazê-la, ficamos extremamente cansados, sem mal termos levantado da cadeira.

Alguns comandos bastante úteis para qualquer cão aprender são: senta, deita, fica, vem (importantíssimo para que passar soltar os cães no parque ou em viagens), junto, devolver a bolinha (uma ótima forma de cansar o cão), dar a pata ou fazer hi-five, achar e trazer objetos específicos como chave, jornal, chinelo, etc. Estes são apenas alguns dos comandos mais úteis que podem ser ensinados, mas o fato de manter o cão sempre aprendendo algo novo pode ser levado para a vida toda do cão.

Treinar o cão para fazer Agility também é uma ótima opção, especialmente para cães com nível de energia muito alto. O Agility promove atividade física e mental ao mesmo tempo, é excelente para estreitar os laços entre dono e cão e pode ser praticado em qualquer lugar, desde o seu quintal até em parques. Dê uma olhada em nossos Obstáculos Recreativos para Agility.

Vamos passear?

Por último, mas não menos importante, está uma atividade que de fato não é considerada como enriquecimento ambiental, mas que muitos proprietários dão menos importância do que a mesma merece: o passeio. Se os proprietários soubessem como um passeio diário devolve o equilíbrio ao cão, não deixariam falhar um dia sequer, nem em dias de chuva.

cão e dono passeando

Cães semi domiciliados ou que vivem nas ruas fazem o que chamamos de migração, procurando fontes de alimento, água, demarcando território, que geralmente é bem extenso, e defendendo-o de invasores. Na migração a velocidade de caminhada costuma ser alta e não existem muitas paradas para urinar (exceto para demarcação), para cumprimentar outros cães, cheirar tudo… Bem diferente dos nossos passeios habituais com nossos cães, né? Nos nossos passeios podemos estar oferecendo diversos estímulos ambientais, mas e a atividade física? Ninguém queima calorias passeando no shopping, andando calmamente e ainda parando para olhar vitrines, concorda?

Portanto, a orientação da Tudo de Cão para os nossos clientes é: vamos migrar! Sair de casa sem deixar o cão cheirar tudo, acompanhando o dono em um ritmo de caminhada rápida. Geralmente três paradas de cinco minutos são suficientes para o cão cheirar e se aliviar (não esqueça de recolher as fezes). O tempo de caminhada – quinze minutos geralmente não são suficientes para gastar energia da maioria dos cães – e o horário do dia – escolha sempre os momentos mais frescos – devem ser observados. Lembre também de evitar o asfalto quente e de oferecer água em pelo menos uma das paradas.

Essas são orientações gerais em relação ao passeio. No entanto, observe sempre as particularidades do seu cão: raças braquicefálicas (aquelas com focinho “achatado”), cães idosos, de pequeno porte, filhotes ou de pelagem densa, merecem atenção especial. Convém iniciar passeios mais curtos e ir aumentando o tempo conforme o condicionamento do seu cão vá melhorando.

Organize-se

Achou muito difícil manter uma rotina com tantas novidades para o seu cão? Na verdade, nossa “falta de tempo” nada mais é do que falta de organização, motivação e disciplina. O Leonardo Ogata certa vez disse: “para criar uma rotina de disciplina não é necessário que a gente tente fazer todos os dias o melhor possível, e sim, que façamos todo dia o que dá. Os resultados começam a aparecer e a motivação acaba vindo sem esforço”.  Comece fazendo o que você pode, e logo estará fazendo tudo o que seu cão merece!

Terminamos aqui os artigos com as principais orientações da Tudo de Cão para você oferecer mais qualidade de vida e bem-estar a seu companheiro peludo. Mantenha-se ligado no nosso blog para continuar acompanhando outros assuntos! Se você não viu os dois primeiros artigos, acesse:

Enriquecimento Ambiental Parte I

Enriquecimento Ambiental Parte II

Gostou do artigo? Faça seu comentário! Um abraço e até a próxima! 🙂

Artigo revisado por Carolina Estima, bióloga e adestradora da Tudo de Cão com vasta experiência em enriquecimento ambiental para animais selvagens, exóticos, cães e gatos.

By | 2017-01-18T11:43:18+00:00 outubro 13th, 2010|Categories: Artigos|Tags: |4 Comments

4 Comentários

  1. todo o que e bom comento

  2. Tatiana 05/09/2016 em 21:21- Responder

    Parabéns pelos 3 artigos sobre enriquecimento ambiental, são muito esclarecedores e interessantes. Espero que o conceito cada vez mais seja observado pelos donos de cães.

  3. Sandra 22/01/2017 em 13:06- Responder

    Muito bom gente! Obrigada pelos 3 artigos sobre enriquecimento ambiental!

  4. Vera Lucia Vieira Rodrigues 22/02/2017 em 20:49- Responder

    Assisti os 3. Muito bons. Estamos adestrando um filhote de pastor com guaipeca. Temos uma adestradora e ele vai fazer 6 meses dia 25 de fevereiro. O nome dele é Guri e ele tem muita energia. A adestradora (Mariana) tem nos auxiliado muitíssimo. Gostaria de ler algo mais sobre esta mistura de raças. Indicam algum endereço? Obrigada.

Deixar Um Comentário