Manejo de Filhotes

Os cães são animais gregários, não estão naturalmente preparados para estarem sozinhos. Podemos treiná-los para isso, acostumá-los e mostrar, dentro da rotina, que deverão ficar sós por algum período. Quando retiramos filhotes de sua mãe e irmãos* eles geralmente choram muito nos primeiros dias. O choro é instintivo, é uma forma de tentar encontrar novamente sua matilha.

Radha, segundo dia conosco

Quando um filhote se vê separado pela primeira vez, ocorre um start de defesa, o que gera grande estresse. Ele começa a chorar, ganir, parece mesmo um desesperado, pois os genes estão ‘dizendo’: Se você está sozinho meu amigo, ou se perdeu de sua matilha ou foi abandonado. De qualquer forma, corre grande perigo, então grite!

Nessa época ela gostava de colo…

Agora imagine um filhote que acabou de ir para sua casa nova. TUDO novo. Cheiros, texturas, pessoas, espaços, estímulos, tudo novinho em folha. Nada é familiar, nada lembra o que ele conhecia até agora. Durante o dia há companhia porém a noite colocam-no em um quarto escuro, sozinho. O filhote tem mesmo é que berrar. Logo o novo dono chega, irritado ou com medo da reação dos vizinhos. O dono irritado dá umas bofetadas no cãozinho, o que pode gerar um imprinting negativo, ou seja, as primeiras impressões já são confusas e ruins. Uma hora é positivo, com carinho e agrados, outra, sem explicação, causa dor. Já o dono com receio dos vizinhos provavelmente leva o cãozinho para dormir no quarto. E isso não é um problema.

A questão é: em que momento recompensamos o cão? Já é esperado que o filhote chore nos primeiros dias, então por que não preparar tudo para a chegada dele pensando nisso, exatamente para não recompensarmos o choro e o desespero, retirando o filhote da situação desagradável, o que faz com que o comportamento só se intensifique?

Em relação a bater, bom, o filhote não vai parar de latir e pode adquirir medo do dono, ficando confuso e ansioso, por conseqüência.

Já fazendo Obediência

Com a Radha não tive problema nenhum. Nada de choro. O manejo que fiz foi no estilo europeu. Comprei uma caixa de transporte já para o tamanho adulto dela e no dia de buscá-la fomos de manhã, em um final de semana. Quando cheguei em casa brinquei bastante com ela e já fiz treinos com a caixa de transporte, para acostumá-la a entrar e sair e ficar alguns minutos confinada. Veja nosso post de Caixa de Transporte, com o vídeo no final. Priorizei o cansaço, deixamos ela realmente exausta, fora que estava tão excitada com os estímulos e outros cães que parecia uma pequena delinqüente, só corria.

Continuei os treinos de confinamento, ao total foram quatro, sempre recompensando quando ela ficava quieta e calma dentro da caixa. Ela resmungou algumas vezes, mas estava tão cansada que dormia. E dentro da caixa ele não tinha a oportunidade de destruir nada e nem errar o local do xixi e cocô**.

Coloquei a caixa de transporte no quarto conosco e assim ela dormiu por 10 dias. Tinha que levantar no meio da noite para que ela fizesse suas necessidades (filhotes pequenos conseguem segurar por poucas horas). Quando já estava adaptada ao ambiente e aos cães, começou a dormir longe, sem problemas***.

À vontade na caixa de transporte

Imunda e babada de tanto brincar com os cães

Como sou ‘meio’ metódica, pedi para a pessoa que me vendeu ela não dar banho de jeito nenhum. Ela estava com cocô grudado e urina, o que deixou a pelagem manchada, mesmo com os cuidados de limpeza do local. Os filhotes de border collie são conhecidos por sua semelhança com porquinhos!

Mesmo assim ela veio imunda por insistência minha. O máximo que fizemos foi esquentar água e passar nos pêlos, deixando-a no sol depois. Por que isso? Bom, o primeiro mês para o filhote é bastante estressante e isso pode fazer com que o sistema imunológico se enfraqueça. Ela já estava em contato com nossos cães (vacinados e vermifugados) e o banho retira a camada de proteção da pele (que no caso incluía outras coisinhas mais), deixando o filhote mais exposto.

Dicas importantes:

1. Associe a caixa de transporte positivamente;
2. Nunca force o cão a entrar;
3. Faça treinos de confinamento por períodos curtos e sempre recompense o cão quando está em silêncio e calmo;
4. Faça exercícios físicos e mentais com o filhote para que ele fique exausto nos primeiros dias;

5. Deixe ossinhos mastigáveis e Kong recheado com o filhote, dentro da caixa.

* Indicamos que a separação do filhote se dê apenas, pelo menos, aos 60 dias de idade.

** A Radha nunca destruiu nenhum objeto dentro de casa, seja ele móvel, decoração, utensílio, roupas, sapatos, NADA!

*** Nossos cães dormem nas caixas de transporte.
By | 2017-01-18T11:43:24+00:00 fevereiro 5th, 2009|Categories: Blog|Tags: |4 Comments

4 Comentários

  1. Malu 05/02/2009 em 19:37- Responder

    Gostei! Achei muito úteis esses “jeitos” de fazer com que o cachorro não chore… Ainda mais morando em apartamento.Muito bom!

  2. maria 05/02/2009 em 19:44- Responder

    Maravilhoso Sara, Obrigada!!!Adoro tudo que tenha a ver com os filhotes!!!!!!!!OBS: A RADHA ERA UMA FILHOTA MMMMUUUUIIIITTTOOOOOO FOFA!!!! Que lindaaaaa!!!!

  3. Camila - EDC 06/02/2009 em 00:51- Responder

    TODOS os meus cães qdo eram bebezinhos dormiam na cx, ao meu lado, nos primeiros dias!!Esse é realmente o melhor método!!

  4. Sara Favinha 06/02/2009 em 01:29- Responder

    Malu, oriente suas amigas com cachorrinhos novos, para os vizinhos não sofrerem… :)Maria, vou mostrar seu comentário para o Samy, que diz que ela é feinha e esquisita… hahahaÉ mesmo Camila? Que bom que você testou e comprovou! 🙂

Deixar Um Comentário