Seu pet é supervacinado?

Li hoje um artigo interessante no site Cachorro Verde, sobre a vacinação anual dos nossos pets. Vale a pena dar uma lida, clicando aqui.
By | 2015-06-11T15:46:53+00:00 Janeiro 25th, 2010|Categories: Blog|Tags: |7 Comments

7 Comentários

  1. marco magiolo 25/01/2010 em 18:45 - Responder

    Leo e Sara, desculpe entrar no assunto, mas gostaria de dar minha opinião. Li o texto e o que acho é o seguinte: o estudo mostrado foi feito em países onde a pressão de infecção por agentes que podem levar à morte os cães é bem menor do que aqui no Brasil, aqui o controle de Zoonoses é péssimo e não há absolutamente nenhum controle de doenças como Parvovirose, Cinomose, entre outras. Reações vacinais ocorrem sim, mas quando procuramos fabricantes confiáves (não vou citar empresas aqui), a possibilidade de reações diminui consideravelmente, e quando acontecem são muito raras. Tenho 4 cães que são vacinados anualmente (V10, Raiva, tosses), NUNCA NENHUM DELES SOFREU REAÇÃO. Alguns clientes meus já sofreram, mas como disse, foram muito poucos considerando a quantidade de vacinas que fazemos no dia a dia.Então, minha recomendação é vacinar os cães anualmente e não dar mole para o azar. Sobre os filhotes, não demorem muito para começar a vacinação, 45 dias já é a idade ideal para começar. Quanto mais cedo se começa, mais cedo se termina a sequencia de vacinas, e o filhote pode curtir passeando e brincando com muito mais segurança.

  2. Sara Favinha 26/01/2010 em 10:54 - Responder

    Olá Marco, obrigada pelo seu comentário! Eu pessoalmente ainda não tenho uma opinião formada, mas quanto mais informações temos melhor conseguimos entender o que se passa. No caso da Radha, minha border collie, mesmo contra a recomendação de alguns vets, acabei iniciando a socialização durante a segunda vacina, assumindo todos os riscos, pois eu não poderia perder essa fase, e não me arrependi. Hoje ela é o cão com a linguagem canina mais completa de casa, e consegue feitos que outros não conseguem com cães medrosos, agressivos, mal socializados e filhotes.

  3. Oi Sara, tudo bom?Eu concordo com o colega, inclusive coloquei um comment lá no blog com algumas perguntas. Eu achei o post bem informativo e a tendência do blog é a busca por tratamentos e manejo naturais, mas nesse ponto de vacinação ele está tendencioso, como se quisesse mostrar que a vacinação é feita, o cliente paga por um serviço e quase não tem retorno pois o animal já está vacinado. O Ettinger (autor de uma das bíblias da clínica de pequenos animais) recomenda a vacinação a cada 2 anos, mas lá onde ele tem clínica a cinomose e a parvovirose, por exemplo, não são endêmicas. Eu tenho conhecimento sobre a proteção de cada vacina, mas, diariamente atendo vários animais doentes, e levo essas doenças para casa, meus cães e gatos são vacinados anualmente.. sinceramente, não arrisco.Quando vacino um cachorro eu explico que as reações são possíveis mas não esperadas, e que vacina não é “água”.. criança tem reação, cachorro pode ter também.Sem esquecer da fraca proteção vacinal conferida pela vacina contra leptospirose, e que deve ser repetida semestralmente… uma colega minha acabou de defender o mestrado em lepto e ela reafirmou.. “a proteção é fraca sim, a vacinação ainda é o método de melhor prevenção”… agora, vai tentar salvar um animal com lepto?Obrigada pelo espaço para a opiniãoBj

  4. Sara Favinha 16/02/2010 em 23:10 - Responder

    Pois é Alice, este assunto é super importante e deve mesmo ser conversado e debatido. Se tiver pesquisas e dados pode postar ok?Obrigada!

  5. Sara Favinha 16/02/2010 em 23:45 - Responder

    A Sylvia me escreveu mandando as respostas que deu no post sobre a supervacinação no blog dela, o link está aqui: http://cachorroverde.com.br/?p=955#comments

  6. Ela fez um post com as respostas, adorei. Acho que precisamos sempre trocar experiências porque elas são válidas. http://cachorroverde.com.br/?p=1041bj

  7. Sara Favinha 21/02/2010 em 00:56 - Responder

    É mesmo Alice, e estamos aqui prá isso.. 🙂

Deixar Um Comentário