Socializar é preciso!

By | 2017-01-18T11:43:09+00:00 junho 14th, 2013|Categories: Blog|Tags: |

b2ap3_thumbnail_06-out-6.jpg 

 Oi pessoal!

No último sábado começamos uma nova Turma de Cão, as aulas em grupo da Tudo de Cão. Mais uma vez fiquei muito entusiasmada pois vejo que cada vez mais pessoas estão preocupadas com a educação e o bem estar de seus cães. E melhor ainda, também com a sua SOCIALIZAÇÃO!!

Moro num condomínio com poucas casas e uma de minhas vizinhas teve um nenê recentemente. Num certo dia a vi com o bebê no carrinho e fui conversar. Assim que o nenê me viu franziu os lábios e já ensaiou um choro. Dei um passo para trás e notei que a mãe dizia “tudo bem” para o nenê, ao mesmo tempo que falava para mim que ele precisava muito de socialização pois estranhava qualquer pessoa que não fosse ela ou o pai, por isso saía com frequência para passeios ao ar livre e queria que as pessoas se aproximassem sempre.

Achei muito interessante a preocupação dessa mãe e me levou a pensar como a socialização é incrivelmente necessária para todos os animais, afinal, como diz o velho ditado, ninguém nasce sabendo!!

Quando nascemos foi preciso que alguém nos “apresentasse” aos seres que nos rodeiam de maneira gradual e agradável para entendermos que os outros de forma geral não representam nenhum perigo. Na escola aprendemos a brincar com as outras crianças, nos comunicar, dividir e até brigar quando não existe acordo, ou seja, aprendemos que existem diferenças e que elas devem ser aceitas.

Com os cães não é diferente.  Imagine um filhote que com dois meses é afastado de sua mãe e seus irmãos, se a família que o acolhe não proporcionar contato dele com outros seres por muito tempo (e muito tempo para um filhote é uma semana!) ele poderá, no futuro, entender  que um outro cão ou pessoas estranhas são coisas ameaçadoras e dos quais deve se proteger. A partir daí podem surgir várias reações como estresse por medo ou insegurança, tristeza e até agressividade na idade adulta. Muito sério isso!

Então, você que tem seu filhotinho em casa, tá esperando o quê?  Venha logo para as aulas em grupo da Turma de Cão e garanta que seu cãozinho tenha além de educação, uma ótima socialização e um futuro equilibrado e feliz.

Espero vocês lá!

Quer saber mais sobre socialização? Clique aqui.

Avaliação de Filhotes

By | 2017-01-18T11:43:11+00:00 Janeiro 7th, 2013|Categories: Blog|Tags: |

Olá pessoal tudo bem?

A Tudo de Cão disponibiliza um serviço muito bacana, nós fazemos a Avaliação de Filhotes para futuros donos. Na foto abaixo eu estou avaliando uma golden retriever muito linda para uma família que tem uma criança especial.

b2ap3_thumbnail_IMG_2410_20130107-134127_1.jpg

Entendendo as diferenças

Assim como nós, os cães possuem diferentes personalidades e temperamentos. De todos os cães que já conheci até hoje, nunca encontrei dois iguais. A idéia de que cães da mesma raça são iguais não é real. Existem sim as tendências da raça, influenciadas pela genética e por todo o processo de seleção realizado. Os border collies por exemplo devem ter um instinto de pastoreio, bem como nos golden retrievers de ótima linhagem, é desejável que estes possuam o instinto de retrieve, que é buscar a presa e trazê-la ao dono intacta.

Todas estas tendências precisam ser entendidas e no que elas repercutem no dia a dia de uma família. Voltando ao border collie, esta é uma raça que não costumamos recomendar, pela demanda de atividade mental e física que ela exige. É uma raça que está direcionada ao trabalho, são cães altamente fiéis mas geralmente à sua família, não costumam ser cães “people oriented”, ou seja, cães direcionados à pessoas, cujo objetivo principal é estar ao lado dela e agradá-las, mesmo que sejam desconhecidos. Seu forte instinto de pastoreio, se não suprido, pode se transformar até em agressividade.

Já um golden retriever têm a tendência à ser “people oriented” e seu instinto de retriever vai fazê-lo buscar meias, sapatos, revistas, controle remoto e entregar aos donos, ou então segurar nas mangas das blusas das pessoas quando está muito excitado, mas dificilmente você verá um golden retriever procedente de um bom criador agressivo com pessoas.

Por que avaliar um filhote?

Como disse anteriormente, cada indivíduo difere do outro. Por isso, antes de adquirir um filhote, é importante que a família se planeje minimamente e que a escolha seja adequada. Filhotes muitíssimo agitados podem se tornar um grande problema para pessoas idosas, filhotes medrosos podem não desempenhar a guarda adequadamente, assim como raças especificas podem não ter nada a ver com os objetivos da família, por mais que sejam lindas e que conquistem os corações mais resistentes em apenas 5 segundos. Muitas vezes a melhor opção é adotar um cão adulto, ao invés de um filhote! Depende de cada família e dos objetivos que ela deseja ao querer um amigo de quatro patas.

b2ap3_thumbnail_IMG_2531.jpg

Como funciona?

A família pode contratar este serviço na cidade de São Paulo – SP e arredores. O primeiro passo é entender o objetivo da aquisição do animalzinho, qual a rotina da família, entre outras informações. Depois o adestrador vai até o canil, ONG ou CCZ e avalia os filhotes ou adultos disponíveis, de preferência com a presença de alguém da família. Esta etapa costuma ser muito bacana pois o adestrador (a) vai explicando o passo a passo dos testes realizados, qual seria a resposta ideal e qual é a oferecida pelo cão. Pode acontecer de não encontrarmos o perfil do cão na primeira vez e sugerimos neste caso que a família espere um pouco mais. Depois de escolhido o cão, a família recebe um relatório via email de tendências e características do cão.

Dando continuidade

A escolha do cãozinho é a primeira fase do processo. Após ela, é preciso dar especial atenção à educação do cão, principalmente se for um filhote. Um erro muitíssimo comum é as pessoas procurarem ajuda somente após o cão começar a oferecer problemas, mas o problema dessa conduta é que o cão já aprendeu as coisas erradas. Quanto mais tempo a família demora para procurar ajuda, mais os comportamentos vão ficando enraizados e mais difícil é para modificá-los depois.

Por isso recomendamos aulas de adestramento particulares ou em grupo desde o começo, para evitar que o cãozinho aprenda as coisas erradas e conscientizar a família, direcionando os comportamentos do cão para que ele se transforme realmente no melhor amigo da família.

Todos os cães coterapeutas das equipes TAC e Terapia Cão Carinho que somos responsáveis são submetidos à Avaliação Anual e a situação ideal é que eles sejam escolhidos desde filhotes para esta função.

Para mais informações, entre em contato conosco! 🙂

Google e Radha participaram de pesquisa sobre comunicação canina

By | 2017-01-18T11:43:11+00:00 dezembro 17th, 2012|Categories: Blog|Tags: |

Uma amiga minha está realizando uma pesquisa sobre comunicação canina e é bem bacana. Consiste em observar o cão quando se aponta para determinado local, se ele toma as decisões baseado na dica ou se não observa e entende a comunicação vinda de um ser humano.

O Google e a Radha participaram e pasmem, o ratinho acertou 100% das vezes! Google! Google! Google! Já a Radha estava um pouco ansiosa e errou alguns.

Veja as fotos:

Pequeno rato em ação

 

Se preparando para mais uma repetição, super concentrado! rsrs

 

Ihuuuu, mais um acerto!

 

 

E mais um! 🙂

 

Vez da Radinha

 

É, pelo menos acertou mais do que errou..Engraçado que ela é super mega comunicativa e observadora!

Google participa em pesquisa da USP

By | 2017-01-18T11:43:11+00:00 dezembro 11th, 2012|Categories: Blog|Tags: |

Olá pessoas!

Hoje o Google participou de mais uma pesquisa, desta vez da Carol, mestranda de Psicologia da USP sobre Seleção de Cães Coterapeutas.

Ela está fazendo um trabalho muito bacana para verificar os resultados de várias ONGs que atuam na área com relação à seleção dos cães. 

Os resultados vão sair em breve e estamos super felizes de participar! 🙂

Carol preparando o local e o Google xeretando a bolsa dela.. rs

 

Obrigada Carol, adoramos! 🙂

 

Ansiedade de Separação

By | 2017-01-18T11:43:16+00:00 julho 27th, 2011|Categories: Blog|Tags: |

Foto: Just Dogs With Sherry

Fiquei muito feliz quando fui convidada pela Ana Corina do Blog Mãe de Cachorro para escrever sobre Ansiedade de Separação. Ela enviou um e-mail para mim, Emmanuelle, Franciele e Cássia e resolvemos fazer um post em conjunto!

Adorei a idéia, pois tenho certeza de que o post ficou muito melhor com a colaboração das quatro, do que ficaria se fosse feito por uma pessoa só. Essa atitude simples mostra que não precisa haver inimizades entre adestradores, pois cada um pode contribuir com o que sabe, acrescentando para o todo, e os maiores beneficiados são os leitores!
Parabéns pela atitude, meninas! 🙂
Então aqui vai o post: Ansiedade de Separação, por Cassia Santos, Franciele Lima, Emmanuelle Moraes e Sara Favinha. Espero que gostem!!

Brincadeiras Caninas

By | 2017-01-18T11:43:16+00:00 julho 5th, 2011|Categories: Blog|Tags: |

A Vanessa da Cãominhando postou um texto bem legal sobre Brincadeira Canina no Facebook. Eu fiz algumas sugestões nos comentários e vou transcrever aqui.

 
Observações Sara Favinha
Muito legal as informações, só faço um parênteses: Quando observamos que um cãozinho está entusiasmado demais e o outro não está totalmente receptivo, sempre interferimos.
Às vezes a brincadeira pode virar uma briga também. É muito importante estar lendo a linguagem corporal dos cães durante a brincadeira. É como fazemos com crianças, às vezes, uma machuca a outra e precisamos interferir para que os ânimos se acalmem. Não podemos deixar que elas se entendam sozinhas nesses casos.
Os filhotes, nesta fase, estão aprendendo o que podem e o que não podem fazer, como se comportar em uma brincadeira e é papel do tutor estar presente nesta orientação, não deixando o outro cãozinho sobrecarregado.
 A Equipe Tudo de Cão orienta que seus clientes levem os cães para brincar com regularidade e também ensinamos aos donos como dar suporte aos cães nessas brincadeiras, atuando de forma calma e evitando assim que seu cão aprenda a se defender, mostrando os dentes ou até indo prá cima do outro cão na tentativa de afastá-lo.
O papel do tutor é orientar, mediar e dar suporte ao seu cão. O elo de confiança entre os dois se estreita muito quando o tutor tem esta atitude. Temos visto resultados magníficos com esta metodologia que aplicamos. Os donos aprendem a linguagem dos cães e conseguem interpretá-la muito bem e o cão demonstra muita confiança em seu tutor, deixando de oferecer agressividade a outros cães, pois sabe que seu amigo estará lá para ajudá-lo se a situação apertar.